Alepa retoma sessões presenciais no segundo semestre

Na sessão inaugural do segundo semestre na Alepa, deputado Raimundo Santos prega esperança na luta contra a pandemia e pede ajuda do governo a produtores de açaí do Marajó.

Em sua primeira manifestação na sessão plenária semipresencial dessa terça-feira (4) na Assembleia Legislativa (Alepa), que marcou o reinício dos trabalhos após o recesso no mês de julho, o deputado Raimundo Santos (Patriota) destacou na tribuna o seu desejo para que o  novo semestre de seja “de esperanças”. Ele referiu-se à aguardada descoberta da vacina de imunização à Covid-19 “para salvar muitas vidas”, segundo ele, já que “há poucos meses passamos por um período de pavor, de incertezas e depressão”.

O parlamentar, no entanto, apesar de lamentar o número de quase 100 mil mortes no País, enalteceu o fato de o Pará ser citado como com seguidos índices de queda de óbitos pela doença entre todos os Estados, o que tem gerado maior folga de vagas clínicas e Unidades de Terapias Intensivas (UTIs). “Há uma participação da população e do governo do Estado de forma distributiva”, reconheceu.

Demonstrando preocupação com reflexos da crise sanitária, Raimundo Santos pediu que o governo estadual, por meio do Fundo Esperança ou outro auxílio emergencial, possa atender a produtores de açaí do Marajó, cuja economia foi afetada de forma drástica pela pandemia. Ele citou como exemplo Melgaço, considerado o município de pior Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) brasileiro, mas que responde por cerca de 23% da produção de açaí no Pará, segundo reportagens veiculadas por parte da Imprensa local.