Deputado é homenageado pela Banda de Música e Sinfônica da PM

Raimundo Santos, autor do projeto para o reconhecimento de patrimônio do Estado, é reconhecido como apoiador institucional

A demonstração de gratidão da Banda de Música e Sinfônica da Polícia Militar comoveu o deputado Raimundo Santos (Patriota) na manhã dessa quinta-feira (20), quando ele visitou a instituição para compartilhar o fato de ter dado entrada em projeto de lei na Assembleia Legislativa (Alepa), já do conhecimento de todos os componentes, para transformá-la em Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Estado do Pará.

 

Ao falar com o grupo de músicos instalados na área externa da sede, localizada no bairro do Marco, o parlamentar, cantor e compositor desde criança, ouviu um de seus maiores sucessos gospel, “Preciso de um milagre”, ser executado na íntegra. “Nós já tocávamos músicas dele”, revelou o comandante e regente titular da banda, tenente Esiel Castro.

Raimundo Santos agradeceu pela homenagem e revelou que desde os 11 anos tinha o sonho de participar do corpo de instrumentistas. “Ela alegra a vida das pessoas”, disse, considerando que a banda não pertence apenas à corporação Polícia Militar, “mas a todo o povo do Pará”. “Sempre fui apoiador das causas da PM, e não foi diferente com a banda”, disse ele, reconhecendo a tradição pelos 167 anos de fundação e apresentações nos mais diversos ambientes.

PARCEIRO  
A relação do líder do Patriota na Alepa com a banda é antiga, segundo o cabo Leonardo Silva e o 2º sargento Romulo Barbosa. De acordo com eles, a atuação do deputado no concurso seletivo de 2014 foi determinante para beneficiar vários integrantes da banda hoje.

Ambos relataram que o edital não apresentava vagas para a instituição, o que foi corrigido por seguidas intervenções de Raimundo Santos. Até para os militares que não foram aprovados no certame mas que integravam a banda foi aberta a prerrogativa de escolha, graças a um projeto que ele apresentou na Alepa, de compor a tropa de combatentes ou permanecer como músico.

“O deputado não mediu esforços pela banda”, reconheceu o sargento R. Barbosa. “Estou há quinze anos como componente por causa desse  concurso”, disse ele. “Aqui eu me realizo”, resumiu.
De acordo com o cabo L. Silva, “o gabinete dele [Raimundo Santos] está sempre aberto para a Banda de Música da Polícia Militar, ele nunca negou um atendimento para a gente”, reconheceu. “Queremos agradecer mais uma vez ao deputado, que Deus abençoe a vida dele grandemente. Somos eternamente gratos.”

O militar revelou que “no passado houve rumores que a banda iria acabar. Com o projeto de Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial é que ela não acaba mais”, comemorou ele. “Desde que entrei na Polícia Militar, o meu objetivo era ingressar na Banda de Música. Tenho dez anos de serviços na instituição e nove na banda, o que representa para mim a realização pessoal e profissional”, admitiu.
 
O cabo Frank Barroso afirmou que o título de patrimônio “é mais uma iniciativa do deputado Raimundo Santos para reconhecimento da banda perante o Estado”. “É importante enfatizar que [a banda] foi uma das primeiras instituições organizadas do Pará e que serviu de fato à sociedade em diferentes épocas”, enfatizou.

“Esse projeto [para o reconhecimento] é algo muito esperado, desejado pelos integrantes da banda de música. O deputado vem estando à frente das causas de interesse institucional, demonstrado a preocupação não apenas com a parte militar, mas com o aspecto cultural da banda”, destacou o cabo, que é componente há nove anos.