Alepa celebra os 93 anos do Coral da Assembleia de Deus

Adoração e louvor foram destaques na Sessão Solene em homenagem aos 93 anos do Coral da Igreja Assembleia de Deus em Belém, realizada nesta sexta-feira (01.11), no auditório João Batista, da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa). A programação foi proposta pelo deputado Raimundo Santos, Ouvidor Geral do Poder Legislativo, e membro da denominação religiosa.

Em seu pronunciamento, Raimundo Santos lembrou de sua participação no Coral e destacou a relevância de evangelização dos trabalhos em mais de nove décadas.

“Desde a infância fiz parte do Coral. Eu participei do coral na década de 60 e fui o fundador do primeiro grupo de homens que cantavam. Então é muita emoção. O coral vem cumprindo a sua missão nesses 93 anos. Mesmo diante de momentos em que a igreja sofria perseguição, os irmãos coristas sempre estavam ali, cantando. É uma sessão cheia de emoção, marcada principalmente com a presença de Deus. São 93 anos louvando a Deus e evangelizando, presenciando milagres, porque o louvor preenche o espaço vazio. O louvor não é apenas notas e melodias, é o próprio  Espírito Santo que unge e passa como pregação a todos que assistem”, afirmou.

A primeira apresentação do Coral aconteceu por incentivo de Julião Silva. Membro da igreja e Oficial da Polícia Militar, conhecedor de música, ele convidou 17 membros a formarem um coral para cantarem no aniversário do pastor Samuel Nystrõm, no dia 09 de outubro de 1925. O grupo aceitou e cantou o Hino “Por Nossa Pátria Oramos”, sob a regência de Julião. E no dia 29 de outubro de 1926, o grupo passou a se chamar Conjunto Coral da Assembleia de Deus.

O Coral tem aproximadamente mil vozes, sendo considerado o primeiro Coral da denominação religiosa no Brasil. É um marco na história da Assembleia de Deus no Brasil, sendo instrumento de evangelização em todas as nações. É referência para as igrejas da mesma congregação do Pará, do país e até da América Latina, contribuindo para a formação de vários outros grupos musicais. O sucesso das apresentações foi transformado em obras fonográficas. São mais de dez títulos, entre LP, Cd’s e Dvd.

O Pastor Philipe Câmara, do Templo Central da Assembleia de Deus em Belém, ressaltou a homenagem como reconhecimento importante para a história do Coral e da igreja.

“Hoje é um dia de festa para o Coral. É uma sessão em que a gente consegue honrar as pessoas que marcaram a história da nossa igreja. O Coral é um presente na vida da igreja e das pessoas em Belém. É o primeiro da primeira Assembleia de Deus no Brasil e ele se mantém vivo, forte, e o horizonte é o melhor possível. Ele reúne gerações servindo a Deus com alegria. Parabéns a todos os regentes e coristas”, destacou.

Durante o evento, cerca de 40 vozes, acompanhadas pela Orquestra do Templo Central, cantaram seis hinos evangélicos.

A solenidade contou com a presença de vários representantes da igreja que prestigiaram a apresentação do coral e exibição de vídeos, como o Pastor Emérito da igreja, Firmino Gouveia e sua esposa Ester Gouveia; pastora Honorata Tavares Andrade, presidente da Comissão com Mulheres da Assembleia de Deus; pastor José Eurípedes, presidente da Convenção da Igreja Mãe das Assembleias de Deus (CIMADB); maestros Wilton Pacífico, Jares de Andrade e Josebilson Rocha.

Entre os presentes, estava um dos fundadores do coral. Filinésio Moreira Soares, 99 anos de idade, sendo 50 deles dedicados à regência do coral. Ele foi um dos homenageados com a Comenda  “Daniel Berg e Gunnar Vingren”. Do alto dos seus 99 anos, o maestro demonstrou  emoção com o olhar e sua mão estendida, como se estivesse regendo cada nota e melodia executada durante a apresentação do coral que ajudou a criar.

Para o maestro Marcos Matos, coordenador geral do Coral da Igreja, a história serve de referência para o futuro.

“Esses 93 anos estão servindo como trampolim para que a gente consiga enxergar que nós podemos usar o máximo do potencial que esse coral tem para nos valorizar, e daqui pra frente seguir os planos de Deus”, disse.

Sônia Campelo, coordenadora do evento, informou que a programação festiva está presente em vários espaços da cidade. “Essa é uma homenagem significativa. A gente pensa que é só mais um ano, mas é uma história que merece ser lembrada por todos. Temos uma comemoração muito significativa, que é a exposição do Coral, no Museu da Assembleia de Deus, aqui em Belém, e no Templo Central temos uma amostra dos 93 anos, que na verdade se confunde com a história da Igreja. Este ano estamos fazendo um resgate, saindo de dentro da Igreja para ir à praça”, informou.

HOMENAGEM – Ao final do evento, o deputado Raimundo Santos prestou uma homenagem especial aos membros e pastores da Igreja pelos relevantes serviços prestados à Assembleia de Deus e à sociedade, sendo que 12 pessoas foram agraciadas com a comenda “Daniel Berg e Gunnar Vingren” e o Pastor Philipe Câmara, com a honraria “Mérito do Legislativo Newton Miranda”.

Por Mara Barcellos

 

IMG_5143 IMG_5188 IMG_5208 IMG_5238